Tradutor

Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 4 de setembro de 2010

CAMARO

Boa Tarde,

Depois de termos visto sobre um grande classico que foi o Bel Air nao poderiamos deixar de irmos para a letra "C" sem começarmos com um outro grande sucesso que foi e ainda é, o Camaro.


Durante 35 anos, o Chevrolet Camaro ofereceu desempenho e esportividade aos norte americanos a um custo mais acessível.

Lançado em 1967, o Camaro foi uma resposta da GM ao sucesso do Ford Mustang e - como no modelo da concorrente - trazia um belo desenho e esportividade por um preço acessível.

1967 Pace Car Camaro



Inicialmente eram oferecidos os motores de seis cilindros em linha com 140 hp e 155 hp, ou os V8 de 327 polegadas cúbicas e 210 hp e o 350, com 295 hp. Se você quisesse, poderia optar pelo pacote esportivo, composto pelas molas e amortecedores mais rígidos, pneus Firestone Wide-Oval, capô com uma tomada de ar e isolamento termo-acústico mais apurado, emblemas SS e capô dianteiro com faixas pretas. O motor era um V8 396, tudo isso por US$ 611,00!!!

1967 Camaro Conversível



No primeiro ano, o Camaro vendeu nada menos que 220 mil unidades, cerca de 20% da produção total de automóveis brasileiros nos dias atuais. Em 1968, esse sucesso aumentou ainda mais e cerca de 235 mil compradores optaram pelo modelo em 1969. Esses resultados de venda refletiam também a performance do carro nas pistas de corrida norte-americanas: o Camaro venceu 18 das 25 provas Trans-Am realizadas em 1968 e 1969. A versão utilizada para esses fins tão "nobres" era a famosa Z28, a esportiva da linha.

1967 Camaro



O Z28 foi apresentado ao público em 1967. Para que pudesse competir sem infringir os limites de cilindrada impostos, foi utilizado o bloco do motor 327 com o virabrequim do 283, para que o deslocamento ficasse em 302,4 polegadas cúbicas e 290 hp de potência nominal. Esse valor era maior que o encontrado no próprio motor 350. Para que o carro ficasse completo, foi utilizada uma suspensão "heavy-duty", mais reforçada, discos de freio na dianteira (lembre-se, isso faz 33 anos...), linhas de freio traseiro de metal, embreagem de maior capacidade, com 11 polegadas de diâmetro, caixa de câmbio com quatro marchas e mais "curta", direção menos desmultiplicada (com menos voltas de batente a batente), rodas de Corvette (mais largas), entrada de ar no capô dianteiro e carburadores com maior capacidade de alimentação.

1968 Camaro SS



Continuando sua evolução, o Camaro 68 não apresentou mudanças significativas. A grade dianteira passou a ter elementos horizontais, ausência de quebra-ventos e novas lanternas traseiras. Mas em 1970 é que o Camaro sofreria as maiores mudanças desde seu lançamento. A versão conversível deixou de existir, mas 125 mil Camaro encontraram compradores apesar da diminuição do número de versões; a frente mudou completamente, assim como o restante da carroceria. O capô ganhou vincos, que terminavam na grade e a coluna C passou a ter desenho completamente diferente das versões encontradas nos anos anteriores. Os motores eram os seis cilindros em linha de 230 e 250 polegadas cúbicas, ou os V8 de 307, 350 e 402 polegadas cúbicas.

1969 Camaro Yenko



Em 1971 o carro passou por novas mudanças, porém bem leves. A grade dianteira passou a dividir o pára-choque em duas partes e foram introduzidas novas cores internas e externas. Em termos de motorização, o motor de seis cilindros em linha e 230 polegadas cúbicas saiu de linha, mas o 250 continuou. Da mesma forma, os V8 permaneceram os mesmos, com — como acontecia no ano anterior — o V8 de 350 polegadas cúbicas contando com duas versões de potência. Uma para os modelos normais (270 hp) e outra para o Z28 (330 hp).

1969 Camaro Yenko SC



1970 Camaro



1971 Camaro SS



1980 Camaro Rally Sport



1981 Camaro Z 28



Um grande abraço a todos e até amanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário